A informação a todo momento

EM CHORROCHÓ, A SOBERANIA MORAL DE LUIZ DA EMA

15/05/2021 19:58

Nesse meio de semana uma notícia deixou Várzea da Ema e região triste, faleceu Luiz Pires Monte Santo, ‘o Luiz da Ema’. Por vários anos, Luiz da Ema se fez presente em feiras da região, bastante conhecido em Formosa, Canudos, Macururé, Chorrochó e entre outras localidades; além da sua trajetória política. Diante do ocorrido, o Blog de Walter prestou a sua homenagem em matéria publicada nesta sexta-feira (14).  Neste sábado o Formosa News compartilhou, confira:
 

“Amigo sempre atencioso e que considero muito, Marcones Reis deu-me a notícia do falecimento de Luiz Pires Monte Santo (1938-2021), de Várzea da Ema.

Luiz Pires Monte Santo era filho de Antonia Tolentino e Manoel Pires Monte Santo – que tiveram oito filhos – e tinha raízes em Várzea da Ema, município de Chorrochó, onde fincou bases políticas e familiares.

Luiz Pires era sobrinho de Antonio Pires de Menezes (Dodô), também de Várzea da Ema, que foi prefeito de Chorrochó no período de 1971/1973.

Em 1988, Luiz Pires Monte Santo disputou a eleição para prefeito de Chorrochó com o apoio do ex-prefeito Dorotheu Pacheco de Menezes, tendo Ariçon Gomes de Souza, de Barra do Tarrachil, como companheiro de chapa, na condição de vice.

Luiz Pires Monte Santo reclamava do estado de precariedade do município de Chorrochó, sem estradas, ainda que vicinais, escolas em estado de abandono, sem carteiras e sem material didático e professores mal remunerados.

A assistência médica era deficiente e não havia investimentos nas áreas de educação, saúde, transporte e demais serviços públicos, o que não mudou muita coisa.

José Evaldo de Menezes (1943-2020), político de grande expressão no município à época, deu-lhe respeitável sustentação eleitoral, o que não foi suficiente para assegurar a vitória de Luiz Pires.

José Evaldo concorreu, na mesma eleição, a uma vaga na Câmara Municipal.

Luiz Pires perdeu a eleição para João Bosco Francisco do Nascimento, de Barra do Tarrachil, apoiado pelo prefeito e líder respeitável José Juvenal de Araújo, mas continuou na vida pública.

Mais tarde, salvo engano deste escrevinhador de memória já esburacada, Luiz Pires foi vice-prefeito de Paulo de Tarço Barbosa da Silva (Paulo de Baião) no período de 1993/1996.

Sempre consultado politicamente, em razão de sua envergadura moral, Luiz Pires Monte Santo representava uma reserva de soberania moral de Várzea da Ema e deixa bons exemplos de caráter e conduta irrepreensível.

Deixo este registro da vida de Luiz Pires Monte Santo como forma de reverenciar sua memória".

Post scriptum:

Penitencio-me por eventuais erros de data, nomes e informações. Em respeito à história, o leitor pode, se quiser, apontar as incongruências do texto e pedir as necessárias correções, o que será feito prontamente.

araujo-costa@uol.com.br

Voltar

Pesquisar no site

© 2015 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode