A informação a todo momento

EUCLIDES DA CUNHA-BA: PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DIVULGAM NOTA DE ESCLARECIMENTO À POPULAÇÃO

24/09/2015 18:26

NOTA DA APLB/SINDICATO DE EUCLIDES DA CUNHA

 

Atenção senhores pais, mães e/ou responsáveis por alunos que estudam nas escolas públicas municipais de Euclides da Cunha, para esta nota de esclarecimento!

 

Nós, professores da Rede Municipal de Ensino, estamos sendo vítimas de informações contraditórias por parte da Prefeitura Municipal de Euclides da Cunha, que faz uso de veículos de comunicação, seja por meio de programa de rádio local, sites, redes sociais e até mesmo pessoas orientadas para confundir a opinião pública e, assim, tentar colocar os profissionais da educação como culpados perante a sociedade euclidense, em especial aos senhores pais, mães e/ou responsáveis, pelas paralisações da categoria, que vêm ocorrendo no âmbito das escolas públicas de responsabilidade da Prefeitura Municipal.

Queremos deixar bem claro que os professores não estão reivindicando, vamos repetir, NÃO ESTÃO REIVINDICANDO aumento salarial. 

Frisamos que a nossa luta é pela garantia do pagamento integral dos nossos salários na data prevista, acertada de comum acordo com a Prefeitura Municipal e firmada através de um Termo de Ajustamento de Conduta - TAC na presença do Ministério Público Estadual local. Como não poderia ser diferente, essa data é a que usamos para nos basearmos para cumprir os nossos compromissos particulares, tais como: 

Manutenção da nossa casa, sustentação da família, pagamentos de contas de água, luz, gás de cozinha, telefone, supermercado, empréstimos bancários, compras financiadas no comércio, despesas médicas, farmácia, enfim, tudo aquilo que qualquer chefe de família, seja homem ou mulher, precisa para se manter e manter a família com o mínimo de dignidade.

Queremos esclarecer também, que parte do nosso salário é composto de vantagens adquiridas, que estão condicionadas ao grau de estudo, titulação e tempo de serviço de cada servidor, sendo as mesmas amplamente asseguradas na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - Lei nº 9.394/96, Estatuto do Magistério Municipal e Plano de Carreira, Cargos, Funções Públicas e Remuneração dos Servidores do Magistério de Euclides da Cunha, entre outros instrumentos legais que dão suporte a nossa remuneração.

O que queremos senhores pais, senhoras mães e/ou responsáveis, é receber o nosso salário integralmente e não fracionado como está sendo feito; queremos também a definição da data para pagamento para que possamos organizar as nossas finanças e cumprirmos com os nossos compromissos nas datas acertadas com os nossos credores, que por sua vez também têm compromissos com seus respectivos fornecedores. É, sem dúvida, uma situação muito constrangedora para quem costuma cumprir  seus compromissos rigorosamente em dia.

O prejuízo não é somente da categoria, mas também para o comércio local, levando-se em consideração que uma quantia considerável deixa de circular, prejudicando diversos segmentos e agravando o quadro da combalida economia do município.

Voltamos a frisar e deixar bem claro para a população de Euclides da Cunha, que a nossa mobilização NÃO ESTÁ COBRANDO DA PREFEITA AUMENTO DE SALÁRIO, MAS O PAGAMENTO INTEGRAL, E NÃO SOMENTE O BÁSICO DO NOSSO SALÁRIO. 

O professor trabalha e não sabe quando vai receber. Perguntamos: Isso é justo? Como também não é justo ir para o rádio dizer que está “preocupada com as criancinhas..., com os pais de aluno...”, ou coisas desse tipo, argumento usado com frequência em seus discursos, na tentativa de ganhar a simpatia das pessoas e, assim, tentar transferir para os professores a responsabilidade pelas paralisações nas escolas. 

Os professores só querem receber o que lhes é devido, pois trabalharam sim, e não foi por metade! Foi trabalho integral, como deve ser o seu pagamento! Muitos de nós são pais e mães de alunos que estudam na rede pública municipal, que assim como os demais alunos, também estão sem assistir às aulas.

Levamos ao conhecimento de todos que em nenhum momento nos negamos ao diálogo com a municipalidade e participamos de várias reuniões na Secretaria Municipal de Educação e na própria Prefeitura Municipal, onde discutirmos o problema com aqueles que ocupam as pastas que são ligadas à questão. Porém, nenhum dos secretários e nem a Prefeita, que compareceu a uma única reunião, apresentou qualquer proposta para resolver a situação.

Queremos uma solução imediata para pôr fim a este impasse, para que possamos retornar às nossas atividades normais, pondo fim ao grave problema causado pela ingerência daqueles que administram os recursos do município e que está afetando diretamente a massa escolar do ensino básico de Euclides da Cunha.

Por fim, nos comprometemos a repor os dias de aula que não foram dados e tornamos pública esta decisão, para que não haja prejuízo no aprendizado dos nossos alunos e que seja cumprida a carga horária de 800 horas/aula, de acordo com o estabelecido na Lei que rege a Educação Nacional.

 

Agradecemos a sua atenção e compreensão.

 

Formosa News, a informação a todo o momento. Fonte: Ascom/APLB-Sindicato (Euclides da Cunha.com).

Voltar

Pesquisar no site

© 2015 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode