A informação a todo momento

JUAZEIRO-BA: PROJETO INIBE A PRÁTICA DE EXTERMÍNIO DE ABELHAS

16/09/2015 21:52

captura abelhas juazeiro
Um projeto criado em Juazeiro (BA) em 2014, que visa a proteger enxames de abelhas, tem combatido constantemente a prática irregular na cidade. O ‘Abelha Viva’ é uma iniciativa voluntária da juazeirense Lícia Regina Lopes, que ao presenciar um extermínio de enxame em uma área urbana passou a estudar sobre as espécies e observou que o próprio Corpo de Bombeiros agia de forma inadequada quando era acionado pela população para retirar enxames na cidade. Em Juazeiro, já foi realizada uma capacitação com a participação de apicultores, do Corpo de Bombeiros, representantes da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) e de organizações parceiras, que abraçaram a ideia proposta.

Com o objetivo de tornar a prática da captura correta (sem precisar exterminar os insetos), algo defendido por um grupo maior de pessoas, e sensibilizar a sociedade acerca da importância das abelhas para o planeta, Lícia impulsionou a realização da capacitação no final de 2014, momento em que ficou encaminhado que no município de Juazeiro só haverá destruição de enxames quando houver ataque a pessoas.

De janeiro a agosto de 2014, uma média de 70 enxames foram exterminados. Após o início do Projeto Abelha Viva, há uma estimativa de que 40 enxames já foram capturados e deste total foi inevitável o extermínio de apenas um, uma vez que se configurou como um ataque, ameaçando a vida de muitas pessoas que visitavam a Ilha do Fogo durante o dia.

Banco de dados

Com a iniciativa do projeto, foi criado um banco de dados dos Apicultores do município. Ao identificar um enxame, a população deve entrar em contato com o Serviço de Atendimento do Corpo de Bombeiros que prestará assistência a um apicultor para que possa fazer a coleta do enxame, ação comumente realizada no período da noite. Práticas como arremesso de objetos, introdução de fumaça ou substâncias com cheiro não são recomendadas em hipóteses alguma, pois pode causar alvoroço das abelhas e assim provocar o ataque.

Geração de Renda

Além de toda função com a reprodução das espécies vegetais da caatinga e de outros biomas do planeta, as abelhas são também uma excelente fonte de renda. Do mel, do própolis e da geleia real são produzidos alimentos, remédios, vitaminas – entre outros produtos. Muitos desses contam com a ação integrada do cooperativismo baseado na Economia Solidária que, para além da visão econômica, se preocupa com a preservação do meio ambiente. No município de Sento Sé, norte baiano, a Associação de Apicultores (AAPSSE) é uma das organizações na região que aprendeu a reconhecer o valor das abelhas e a importância de garantir a caatinga em pé e assim confirmar a sustentabilidade ambiental, econômica e social presente nesse tipo de extrativismo. 

 

 

Formosa News, a informação a todo o momento. Fonte: Carlos Britto Foto: Projeto Abelha Viva/divulgação.

 
Voltar

Pesquisar no site

© 2015 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode