A informação a todo momento

REINTRODUÇÃO DA ARARINHA-AZUL É TEMA DE REUNIÃO EM CURAÇÁ-BA

18/02/2016 22:57

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) realizou na manhã dessa terça-feira (16) uma reunião de discussão e apresentação de políticas públicas para a reintrodução da ararinha-azul em Curaçá. O Evento se deu no Centro de Educação Superior e teve participação (além dos órgãos federais) de: representantes do poder público municipal (Executivo e Legislativo), representantes do Governo do Estado (Instituto de Meio Ambiente – INEMA) e de organizações da sociedade civil como: Instituto da Pequena Agropecuária Apropriada (IRPAA), Paróquia, Instituto Mata Branca (IMB).

Após apresentação geral dos presentes, Ugo Vercillo, do MMA (Biodiversidade e Florestas), abriu a reunião apresentando os objetivos do Evento, o contexto do tema e as propostas acerca dele. “Vamos discutir propostas de ações e políticas relacionadas ao projeto de reintrodução da ararinha-azul aqui em Curaçá. Mas para isso precisamos dessa comunhão para preparar o local com condições ambientais e sociais. É isso que vamos fazer aqui”. Ugo mostrou que já existe uma grande área disponível na Fazenda Concórdia (26 km da Cidade) para início, mas que se requer uma comunidade de proteção nos arredores. Logo após, Camila Lugarini, do Instituto Chico Mendes para a Biodiversidade (ICMBio), expôs o histórico resumido do Projeto Ararinha-azul na Natureza (PAN) e os resultados já alcançados em cativeiro com essa espécie. “Em 2012, quando o plano de ações do Projeto começou, a gente tinha 73 animais. Hoje em dia temos 110. Maior número em Al Abra, no Qatar. Em 2013 se começou a investir muito em reprodução, por isso chegamos a esses números. Realizamos transferências de animais entre o Qatar e o Brasil. E já temos alguns em Minas Gerais. Em 2019, quando a espécie completa 200 anos de descoberta, iremos soltar os primeiros exemplares aqui em Curaçá”, revelou Camila, que também apresentou, rapidamente, ações em comunicação do PAN e experiências bem sucedidas de turismo e artesanato com o Projeto Peixe-boi. Na sequência, Marcos Santana, do MMA (Extrativismo Desenvolvimento Rural) apresentou ações possíveis para o ambiente em que as ararinhas-azuis devem ser soltas, a exemplo de: barragem de contenção de sedimentos, sistema agropastoril para caprinovinocultura e meliponicultura (abelhas nativas). Tudo buscando o combate à desertificação e a produção sustentável. Leonardo Pacheco, do MMA (Extrativismo Desenvolvimento Rural) falou a respeito do Programa Bolsa Verde. “Beneficia 74 mil famílias no Brasil. Elas recebem 300 reais durante dois anos, desde que elas estejam dentro dos critérios, por exemplo: morar dentro de unidade de conservação; estar cadastrada no CADÚNICO, e estar abaixo da linha de extrema pobreza. A condicionalidade ambiental é que os beneficiários assinem um termo de adesão e tenham, na propriedade, uma cobertura vegetal de 20% de mata preservada com plano de manejo definido”, elucidou Pacheco, que também antecipou que o Bolsa Verde traz outras políticas associadas a ele, a exemplo dos cursos do PRONATEC e assistência técnica. Eduardo Macedo, o INEMA, apresentou a Proposta de Unidades de Conservação de serras no Município de Curaçá e sugeriu, assim como Edimilson Nascimento (IMB), a integração dos dois projetos na busca dos objetivos comuns.

Por fim, Ugo fez boa avaliação do Evento, assim como os presentes que fizeram uso da palavra. Também foi aberto um espaço para comprometimento das entidades presentes. “Tudo o que definirmos ao fim desse momento terá o apoio da Prefeitura. Tanto o Prefeito como os secretários e assessores estão de braços abertos para esse Projeto que certamente renderá bons frutos para nosso Município”, explanou Josemário Brandão, Secretário Municipal de Governo, o qual justificou a ausência do Prefeito que estava em outro evento oficial. Anselmo Vital, do INEMA, também pôs o Instituto a disposição para ajudar. Alguns questionamentos dos presentes foram favoráveis ao combate mais ágil sobre a degradação da natureza em Curaçá (extrativismo de angico e mineração irregular), inclusive ficou revelado, pelo Vereador Januário Brandão, que no dia 14 de março próximo haverá uma audiência pública na Câmara para discutir esse tema. O Cantor Fernandinho Ferreira interpretou sua canção “Balada de Araras”, que trata da Ararinha-azul e foi bem aplaudido por todos. Ugo encerrou a reunião por volta das 13h e antecipou que amanhã (17), haverá reunião com representantes de associações das comunidades da área do PAN.

 

Fonte: Boletim Curaçá

 

Clique aqui e confira dicas de como combater o mosquito Aedes Aegypti!

 

Formosa News em defesa do combate ao mosquito Aedes Aegypti

 

Leia mais: https://www.formosanews.com.br/

 

 

Voltar

Pesquisar no site

© 2015 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode